Rio das Ostras: pouco trabalho e muito caô!

A população riostrense foi brindada com uma falácia do Governo Carlos Augusto (PMDB) essa semana prá justificar a própria inoperância e escamotear os interesses que ele defende em sua gestão. Trata-se de outdoores e placas espalhados pela cidade, além de um comercial na InterTV com várias inserções sobretudo no horário nobre, com os seguintes dizeres: “Imagine administrar sua casa com o dobro de pessoas e metade do salário. Foi o que aconteceu com Rio das Ostras: a população dobrou, a arrecadação caiu e a Prefeitura está trabalhando”, ilustrado por uma imagem de uma família feliz. Detalhe: no alto da propaganda aparecem os dizeres “mais informações na Rádio Energia”. A rádio que é uma concessão pública para exploração comercial virou repartição da Prefeitura? Por que mais informações na rádio e não nas secretarias de Governo, sobretudo nas de Fazenda e Planejamento? Estranho isso.

Propaganda enganosa paga com o seu / nosso dinheiro...

Podemos inferir várias ressignificações e desmistificar as mentiras e injustiças por detrás dessa peça publicitária.

Comecemos afirmando que se o Governo trabalhará dobrado agora é porque nos dois primeiros anos do segundo mandato nada foi feito na cidade e com o aproximar do ano eleitoral é hora de abrir os cofres prá tentar emplacar seu sucessor.

As principais obras de seu Governo, muitas questionáveis por serem verdadeiros elefantes brancos estão paradas. Não houve projetos novos nas diversas secretarias, ao contrário, muito foram cortados. As políticas sociais foram reduzidas e mantiveram a lógica do clientelismo em seu cerne. A saúde configura um verdadeiro desrespeito à população que tem apenas um dia no mês prá marcar seus exames, tendo de enfrentar filas enormes para isso. Exames que serão realizados meses depois apenas, e ali os cidadãos, sobretudo os mais pobres, terão que enfrentar novas filas.

Nas ruas só se ouve reclamações da população. São bueiros entupidos na cidade toda, processos de liberação de alvarás que ficam empacados na prefeitura, iluminação precária em vários bairros, terrenos baldios que viram lixões, muita desinformação nas diversas repartições, inércia na área cultural e incipiência no turismo, rede de esgoto que não existe em vários locais, convênios descumpridos e enrolados com instituições como UFF, EMATER e OSCIP’s que prestam grandes serviços à população e ao desenvolvimento equilibrado da cidade.

UFF/PURO: Governo não cumpre convênio, não constrói os prédios, mas paga 3000 reais / mês por aluguel de cada sala de lata.

Por outro lado é mentira que a arrecadação caiu. Pelo menos a arrecadação própria, que é o dinheiro real que um município pode contar, constituída por impostos e taxas municipais, multas e transferências do Estado, da União e de Fundos Públicos só aumentou nos últimos anos. Graças ao trabalho dos servidores da Prefeitura, e não do Governo, registre-se. São guardas municipais, fiscais, agentes e técnicos dos mais variados setores que com suas ideias, suor e projetos conseguem novos recursos para o município. Mas ainda há muito a ser feito. Há milhares de imóveis no município sem cadastro e que não pagam IPTU. O Governo que reclama falta de dinheiro, se omite em ações básicas.

O Governo não fala também que entregou o município prá Odebrecht ao executar uma obra bilionária através de Parceria Público Privada (projeto Reviver) para urbanizar a região sul da cidade (Cidade Praiana e arredores), na qual a empresa executou a obra com seus recursos, como se fosse um empréstimo. Obra extremamente eleitoreira e que endividou o município por 15 anos, com juros altíssimos e de quebra ainda cedeu a gestão do sistema de esgotamento sanitário a essa mesma empresa transnacional, através da subsidiária Foz do Brasil. As obras feitas na região sul eram necessárias, vitais prá quem mora lá, assolados por constantes alagamentos e falta de saneamento, contudo podemos observar muita coisa mal feita na sua execução, fora os custos exorbitantes, sem praticamente discussão alguma. Só houve uma apresentação/consulta pública na Câmara onde nenhum questionamento era plenamente respondido e nem havia espaço prá problematizações. Papo prá boi dormir…

Milhões gastos e esgoto na praia do Centro jorrando em 23/01/11 às 18 horas.

Tudo bem longe do “Governando com Responsabilidade”, transferindo prá iniciativa privada responsabilidade que era do município. E a empresa que é uma das maiores capitalistas do mundo certamente não entrou nessa não sendo prá auferir muito lucro. Lucro que sai do bolso dos cidadãos e deixa de ir prá Educação, prá Saúde, prá Cultura, pro Meio Ambiente, prá valorização dos servidores públicos.

Ah, falando neles, estes se sentem especialmente afetados e entristecidos com essa hipocrisia do governo peemedebista riostrense. Eles sim sabem muito bem o que é administrar a família com metade do salário de uma hora prá outra. Os mais de 70 fiscais que tiveram sua remuneração cortada pela metade por uma simples canetada do Prefeito. Os engenheiros que passaram pelo mesmo problema. Todos os servidores em geral que passaram a receber menos com a mudança do auxílio transporte, que ao invés de valor fixo e igual para todos passou a ser pago por dia trabalhado, mas de forma injusta, pois ignorando, por exemplo, os professores que precisam comparecer muitas vezes às escolas para repor aulas, mas que não recebem por isso. E todos aqueles que obrigados a fazer hora extra não recebem auxílio transporte e alimentação por esses dias a mais.

Prefeitura virou cabide de comissionados.

O Governo não conta ainda que inchou a folha salarial com criação de inúmeros cargos comissionados, de livre nomeação, sem concurso público, prá acomodar apadrinhados e manter seu reduto eleitoral a qualquer custo. O mesmo que vem enrolando os servidores efetivos do município há seis anos com promessas de criação do Plano de Carreira, o que já existe em diversos municípios vizinhos e que garantiria melhorias reais aos funcionários a partir de promoção por tempo de serviço e por qualificação, garantindo também uma aposentadoria tranqüila, o que não acontece quando a remuneração é constituída basicamente por gratificações que não contam prá previdência e que podem ser retiradas a qualquer momento.

Por essas e por outras, pela desfaçatez, o Governo Carlos Augusto merece o prêmio de caô da região.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s