Arquivo do mês: setembro 2011

Jornalista piauiense, morto em Rio das Ostras, é sepultado com profunda comoção popular

   

 

 

 

 

 

 

*Por Leonor Bianchi

Polícia investiga possível assassinato

Rio das Ostras – Foi sepultado, na tarde desta quarta-feira, 27, no cemitério do Palmital, o jornalista piauiense, radicado no Rio de Janeiro, (Niterói e Rio das Ostras), Benoni Alencar. Familiares, amigos, vizinhos, comerciantes e companheiros de militância política, prestaram a última homenagem ao grande homem.

Encontrado morto em sua casa, no Palmital, no dia 27, o corpo do jornalista foi levado para a perícia médica em Macaé com suspeitas de estrangulamento, indício que foi comprovado segundo o Laudo.

A possibilidade de um assassinato chocou a comunidade e amigos, clamam por justiça

O sepultamento não contou com a presença de nenhum político da cidade, que mesmo sabendo que sua morte se deu sob condições suspeitas, sequer foi se solidarizar com os familiares. Ah, sim, o enterro de um homem como o grande Benoni não seria espaço para barganhas políticas como fora o de outro cidadão riostrense, dois dias antes. O sepultamento do cristão Itamar, morador antigo, porém sem a expressão política de Benoni, fez lotar o salão do Iate Clube da cidade e foi palco de cenas inacreditáveis promovidas por personagens da cena política local. Terrível! Talvez por isso, não tenham esses ratos, comparecido ao velório do jornalista Benoni. Sinceramente, achei até melhor assim. Em vida nunca o apoiaram, para que aparecer por ali. Ao menos houve bom senso, o que é inédito vindo da parte desses projetos de gestores públicos (projetos muito mal elaborados, diga-se em negrito e itálico!!!).

Parentes e amigos velaram o corpo do jornalista na biblioteca pública feita por ele, no Palmital. Continuar lendo

Além dos lucros, alta rotatividade e questão de gênero motivam greve dos bancários

Por Marcel Gomes

Não são apenas os altos lucros das instituições financeiras que estimulam os bancários a cruzarem os braços em busca de melhores salários.

A greve do setor, que entra em seu terceiro dia nesta quinta-feira (29), também tem origem na insatisfação dos trabalhadores com a rotatividade do emprego, sobretudo aquela relacionada à troca de funcionários de mais altos salários por jovens com menor remuneração.

Um estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-econômicos (Dieese) ajuda a dimensionar esse fenômeno.

No primeiro trimestre de 2011, os bancos desligaram de seus quadros 8.947 trabalhadores, que possuíam um salário médio de R$ 4.086,32, e contrataram 15.798 novos empregados, com remuneração média de R$ 2.330,25.

Apesar do saldo positivo de 6.851 vagas geradas, a diferença salarial entre admitidos e desligados foi de 42,97%, acima do verificado no ano anterior, de 37,57%.

De acordo com o técnico do Dieese Miguel Huertas Neto, um dos responsáveis pela pesquisa divulgada em julho, a rotatividade explica porque, nos últimos seis anos, os bancários empregados acumularam reajuste real de pelo menos 12,2%, mas a média salarial do setor subiu apenas 3,6% – de R$ 4.278, em 2004, para R$ 4.435, em 2010, em valores já corrigidos pela inflação.

Com remuneração menor, a juventude é a nova cara do trabalhador bancário. Entre os 15.798 funcionários admitidos nos primeiros três meses deste ano, 72,84% tinham até 29 anos. Já entre os trabalhadores com mais de 40 anos, houve 2.002 mais desligamentos do que admissões.

Continuar lendo

BENONE ALENCAR: Presente!!

 A luta está comovida
Pois já em morte se encontra
Um lutador pela vida!

Mas a dor que nos comove
… Não silencia ou constrange
Nos une em vida e nos move

Que a vida do lutador
Nos inspira a lutar
Pra revolução (de amor)

Somos todos, ao lutar
Parte deste lutador
Viva Benoni Alencar!

É com pesar que nós militantes do PSOL Serramar, informamos o falecimento do nosso caríssimo militante BENONE ALENCAR. Fundador do Partido na região, Benone foi um daqueles lutadores  pelo Socialismo Imprescindível. Militante do PSOL desde que o PT tomou rumos pelo qual não concordava, era militante do SINDJUSTIÇA, Sindicato da categoria que fazia parte. Estava finalizando a construção de uma grande biblioteca Popular em Palmital, onde morava. Sua casa era lugar de encontro com muitos amigos e militantes. Sua força de luta e coerência nos  deixou como exemplos. Deixou-nos ainda uma música belíssima para o PSOL. Agora não sairá do coração de todos nós, seus companheiros de núcleo, os momentos em que cantava:

” Viva o PSOL do Socialismo,
Viva o PSOL do Socialismo,
Todo munda ama,
Todo mundo quer,
Para derrotar o  Capitalismo”